brincadeiras

Vocab. Brincadeiras in English

Hi there,

Achei essa listinha no blog da Elane, e achei bem legal… vale pro momento em que tivermos que brincar com as kids e não ficarmos tão perdidas assim, dá pra ter uma noção do que é o que! 🙂 bem bacaninha!

Imagem

Anúncios

Brincadeiras pra levar pras kids

Olha só, enquanto eu espero a aprovação do meu profile pra ficar online, tenho pesquisado muito e lido muitas coisas a respeito de tudo que envolve KIDS.

Acho importantíssimo a gente carregar o máximo de informações possíveis conosco… Por exemplo, os tipos de brincadeiras que podemos aplicar, que varia de idade pra idade, alimentação, histórias adequadas, esses tipos de coisas… Minha experiência na creche (trabalhei como voluntária numa creche durante 2 meses) me ajudou e muito a prestar atenção em cada detalhe em relação as kids. Cada idade possui necessidades diferentes e específicas. Mas enfim, acho legal a gente levar algumas brincadeiras tipicamente brasileiras, aquelas que a gente costumava brincar quando éramos crianças. Eu, sinceramente, não lembro de muita coisa quando eu tinha 5, 6 anos, mas enfim… 🙂 Se você ‘jogar’ no nosso amigo Google ‘brincadeiras brasileiras’, com certeza a lista será imensa e tem muita coisa legal… portanto, vale a pena esse pequeno esforço! Fica a dica! 😉 A seguir tem uma listinha de um site que me interessou bastante… tem muuuuitas brincadeiras legais e que com certeza as kids de lá vão adorar! Selecionei somente algumas ok, no site são 100 brincadeiras, portanto, se lhe interessa, entra lá… 🙂 vale a pena dar uma olhadinha!

XoXo

  • Amarelinha: Essa brincadeira tão tradicional entre as crianças brasileiras também é chamada de maré, sapata, avião, academia, macaca etc. A amarelinha tradicional é desenhada no chão com giz e tem o formato de uma cruz, com um semicírculo em uma das pontas, onde está a palavra céu, lua ou cabeça. Depois vem a casa do inferno (ou pescoço) e a área de descanso, chamada de braços (ou asas), onde é permitido equilibrar-se sobre os dois pés. Por último, a área do corpo (ou quadrado).
  • Alerta: O jogador pega a bola, joga ela pra cima e grita o nome de uma pessoa. A pessoa que teve seu nome citado deve pegar a bola e gritar “Alerta!”. Imediatamente, todos devem ficar estátuas. O jogador dá 3 passos e, parado, deverá tentar acertar com a bola na pessoa que tiver mais próxima. Se acertar, a pessoa atingida sai da brincadeira. Se errar, ele é quem sai. É uma espécie de queimada parada.
  • Arranca-Rabo O grupo é dividido em dois, os integrantes de um dos times penduram um pedaço de fita na parte de trás da calça ou bermuda, eles serão fugitivos. Ao sinal do mestre, os fugitivos correm tentando impedir que as crianças do time adversário peguem suas fitas, quando todos os rabos forem arrancados, as equipes trocam os papéis, quem era pegador vira fugitivo.
  • Bilboquê ou Bibloqué Este jogo consiste na habilidade de enfiar a carapuça do bilboquê no fuso (bastonete). Consta de duas partes: na primeira, cada criança vai jogando o bilboquê, contando até dez ou vinte, conforme combinação do grupo. Cada vez que um jogador acerta, marca ponto. Na segunda parte, iniciam as provas, selecionadas entre os participantes. Cada prova é também contada, de acordo com o número de vezes que o jogador acerta. Quem erra cede o lugar a outro participante, e fica aguardando sua vez para a próxima rodada. Provas: Bilboquê com floreiro: consiste em lançar a carapuça para um outro lado, fazendo evoluções, com um desenho no ar, e, depois, impulsionar a carapuça para o meio, procurando enfiá-la no bastonete. Carambola ou regalito: consiste em, partido de carambola enfiada no fuso, impulsionála para cima com a mão direita, enquanto o barbante é seguro pela mão esquerda, auxiliando a evolução. Em seguida, o jogador procura aparar a carapuça com o fuso. Floreiro com carambola: consiste na mesma habilidade descrita anteriormente, porém a carapuça deve fazer um giro no ar, antes de ser, enfiada no fuso. Floreiro com fuso: consiste em segurar a carapuça e movimentar a linha, para que o fuso entre no orifício. É semelhante ao floreiro com carambola, mas ao revés.
  • Ciranda A famosa dança infantil, de roda, conhecida em todo o Brasil, teve origem em Portugal, onde era um bailado de adultos. O Semelhante a ela é o fandango, baile rural praticado até meados do século XX no interior do Rio de Janeiro (Parati) e São Paulo, em que homens e mulheres formavam rodas concêntricas, homens por dentro e mulheres por fora. Os versos que abrem a ciranda infantil são conhecidíssimos ainda hoje: “Ciranda, cirandinha/ Vamos todos cirandar/ Vamos dar a meia volta/ Volta e meia vamos dar”. De resto, há variações regionais que os complementam como “O anel que tu me deste/ Era vidro e se quebrou./ O amor que tu me tinhas/ Era pouco e se acabou”.